Diversas entidades sindicais, trabalhadores e ativistas se reuniram na última, segunda-feira, 30, para um ato em defesa dos funcionários da BHTrans, empresa que gerencia o transporte e o trânsito em Belo Horizonte. A manifestação ocorreu na porta da prefeitura e contou com a participação do SAEMG, representado pelo presidente da entidade, Mauricio Pereira de Jesus, e os delegados de base Odilon Cerbino e Dalca Corrêa.   

Nos últimos meses, após virar pauta de uma CPI na Câmara Municipal de Belo Horizonte, a empresa é alvo de ataques por vários segmentos sociais. Porém, pouco se preocupa com os trabalhadores que, há anos exercem suas funções a serviço da cidade, e tampouco a resolução real dos problemas. 

Para se ter uma ideia, o vereador Gabriel Azevedo é autor do projeto de Lei 160/2021, que entre outras coisas, sugere a extinção da BHTrans. O PL tramitou em quatro comissões e, após receber emendas, está pronto para ir a plenário em primeiro turno a partir de setembro.

Em seu discurso durante o protesto desta segunda-feira, Mauricio tratou o tema com grande preocupação quanto o futuro da cidade e dos trabalhadores. “Querem curar um doente decretando a sua morte. É preciso investimentos e, principalmente estabelecer diálogo e seriedade nesse processo. A sociedade e os trabalhadores não estão tendo voz em uma discussão essencial para todos. Existem problemas, porém temo que no futuro eles aumentem em função dos erros grotescos e politiqueiros que estão cometendo agora”, afirma. 

A BHTrans foi criada em 1991, pela Lei Municipal nº 5.953 e é uma sociedade de economia mista municipal dependente e de capital fechado, composta pelo Município de Belo Horizonte, que detém 98% (noventa e oito por cento) do capital. Tem ainda como acionistas, com 1% (um por cento) do capital cada, a SUDECAP Superintendência de Desenvolvimento da Capital, autarquia municipal e a PRODABEL – Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A, que é sociedade de economia mista dependente e de capital fechado. Atualmente a empresa possui mais de mil funcionários, que precisam ser respeitados e amparados.    

Entre as entidades participantes, estavam o SINTAPPI-MG, o SIND-UT, a CUT Minas e outras diversas organizações políticas e representativas. O SAEMG representava no ato os administradores e as secretarias da entidade. Na ocasião também foi celebrado os 30 anos da BHTrans.

Published On: 31/08/2021Categories: NotíciasTags: ,

Compartilhe

Leave A Comment

Relacionados