A despoluição da Lagoa da Pampulha não será concluída até a Copa do Mundo do ano que vem.

A constatação é do prefeito em exercício, Délio Malheiros (PV), que vistoriou na última sexta-feira (01) o canteiro das obras de dragagem e desassoreamento do reservatório. Esse processo está em andamento e tem previsão de ser concluído até maio. Já o tratamento da água, que permitirá seu uso para atividades náuticas e de lazer, ainda está em processo de licitação e, como demanda no mínimo 10 meses para terminar, deve acabar depois do mundial.

Segundo Malheiros, os trabalhos realizados até o momento estão dentro do cronograma e evoluem no ritmo esperado. “Durante os jogos teremos uma orla mais bonita, com a restauração das ciclovias, passeios e paisagismo. A despoluição não terá sido completa, mas o lago vai apresentar uma qualidade melhor e um aspecto menos poluído”, disse o prefeito.

Conforme reportagem do jornal Estado de Minas, o processo licitatório para despoluição da Pampulha tem custo estimado de R$ 30 milhões. Três empresas participaram da concorrência e uma foi selecionada, mas o resultado ainda é questionado na Justiça.

O desassoreamento prevê a retirada de 800 toneladas de areia e detritos depositados pelos córregos principalmente como efeito de bota-foras, obras irregulares e lançamento clandestino de esgoto de bairros de Belo Horizonte e de Contagem. O custo desse processo será de R$ 110 milhões.

Fonte: direitocidadao.com.br

Published On: 08/11/2013Categories: Gerais

Compartilhe

Leave A Comment

Relacionados